Aneel descarta chance de anular leilão de Belo Monte

O procurador-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Márcio Pina Marques, afirmou nesta tarde que não há chance de o leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte ser cancelado em razão da liminar concedida pelo juiz federal Antonio Carlos Almeida Campelo, da subseção de Altamira, no Pará. Segundo Pina, apesar de a ação ter sido protocolada ontem, a informação sobre a liminar só chegou à Aneel às 13h30 de hoje por meio de e-mail. Pina deu essas informações em entrevista coletiva.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

20 de abril de 2010 | 15h09

Na mesma entrevista, o presidente da Comissão de Licitação da Aneel, Hélvio Guerra, disse que a decisão de não divulgar o nome do consórcio e o preço da energia a ser vendida pela usina de Belo Monte foi tomada imediatamente após a informação sobre a existência da liminar. Neste momento, segundo ele, o leilão já havia sido encerrado.

Guerra informou ainda que o governo já trabalha numa ação para cassar a liminar. "Assim que houver decisão da Justiça do Distrito Federal divulgaremos (o vencedor)", disse. O presidente da comissão disse ainda que os participantes do leilão continuam em salas isoladas, mas garantiu esses representantes estão à vontade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.