Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Aneel divulga edital de leilão de energia nova

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) publicou nesta sexta-feira resolução no Diário Oficial da União na qual oficializa a aprovação do edital do leilão de energia de novos empreendimentos (energia nova) marcado para o dia 10 de outubro. O texto do edital, disponível desde quinta no site da agência, foi aprovado pela diretoria da Aneel em reunião realizada na última terça-feira.Nesse leilão, os empreendedores disputarão contratos para vender energia às distribuidoras a partir de 2011, sendo que as usinas termelétricas fecharão contratos de 15 anos e as hidrelétricas selarão acordos para vender energia por 30 anos.A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), órgão do governo que faz o planejamento do setor, habilitou 131 empreendimentos (incluindo seis novas hidrelétricas ainda sem concessão) para participar do leilão, somando uma potência total de mais de 21 mil megawatts (MW). Nessa lista há projetos de novas termelétricas, pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e usinas hidrelétricas ou termelétricas que possuem concessão ou autorização, mas não têm contrato de venda da energia (as chamadas usinas "botox). A relação final dos empreendimentos habilitados para participar do leilão deverá ser divulgada na próxima segunda-feira, à noite, ou na manhã de terça-feira, no Rio.TermelétricasO Ministério de Minas e Energia publicou também nesta sexta uma portaria no Diário Oficial da União com a relação das garantias físicas das usinas termelétricas que participarão do leilão de energia de 10 de outubro. As garantias físicas equivalem à capacidade real de fornecimento de energia dos empreendimentos, considerando a disponibilidade de combustível das unidades, seja ele gás natural, óleo combustível ou outros.Ao todo, 75 usinas termelétricas foram habilitadas pela EPE para participar do leilão, sendo 22 movidas a biomassa (potência total instalada de 779 megawatts), 8 a gás natural (5.332 MW), 1 a gás de processo industrial (431 MW), 2 a carvão (1.192 MW), 4 a diesel (484 MW) e 39 a óleo combustível (3.586 MW).

Agencia Estado,

22 de setembro de 2006 | 15h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.