Aneel habilita sócios do consórcio vencedor de Belo Monte

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem a habilitação do Consórcio Norte Energia, que venceu o leilão da Hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu, em 20 de abril. Isso significa que todas as empresas conseguiram comprovar viabilidade financeira para compor o grupo, destaca o diretor geral do órgão regulador, Nelson Hubner.

Renée Pereira, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2010 | 00h00

Com a habilitação, o consórcio já pode incorporar um novo sócio estratégico no grupo, como um grande consumidor de energia. Segundo fontes do setor, está em negociação a entrada da mineradora Vale, por exemplo, que era sócia do consórcio Belo Monte Energia, liderado pela Andrade Gutierrez, perdedor do leilão.

Outras companhias também estão sendo sondadas e, futuramente, podem se tornar sócias do empreendimento. Entre elas estão Gerdau, Braskem e Votorantim (que também participou do consórcio Belo Monte Energia).

Além disso, os representantes do consórcio vencedor estão em conversas com as construtoras Camargo Corrêa e Odebrecht, que desistiram da obra antes do leilão por causa do preço estipulado pelo governo. Mas as negociações estariam mais avançadas com a Andrade Gutierrez por causa de preço.

Os fundos de pensão também devem compor o grupo, que levantará a terceira maior hidrelétrica do mundo, com capacidade de 11.233 megawatts (MW) de potência.

Embora o leilão tenha ocorrido há mais de um mês, ainda há muitas dúvidas em relação à composição acionária do Consórcio Norte Energia. Sabe-se por enquanto como será a participação da Eletrobrás na construção: a Eletronorte terá 19,98% de participação; Chesf, 15%; e Eletrobrás Holding, 15%.

A parte privada ainda é uma incógnita, afirmam representantes do setor elétrico, apesar das especulações em torno de nomes de grandes empresas.

A assinatura do contrato pode ser antecipado de setembro para agosto, dependendo da rapidez do consórcio na formação da Sociedade de Propósito Específico (SPE), destacou Nelson Hubner. Segundo ele, o próximo passo será a homologação do consórcio vencedor, que deve ocorrer em 1º de julho. A partir daí as empresas terão 30 dias para efetuar o depósito das garantias, exigido no edital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.