bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Aneel reajusta seguro-apagão em 16,33%

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta quinta-feira que o seguro-apagão, criado para pagar o aluguel das usinas emergenciais que serão acionadas somente em momentos de crise, será reajustado em 16,33%. A partir de amanhã, o valor cobrado por quilowatt consumido subirá de R$ 0,0049 para R$ 0,0057. O seguro vem sendo cobrado nas contas de luz desde 1º de março, excluindo apenas os consumidores de baixa renda que gastam até 80 KW/mês.O principal motivo para o reajuste, segundo a Aneel, foi a diferença entre o mercado de energia elétrica previsto no cálculo do encargo e o verificado. Ou seja, o consumo de energia e o número de consumidores sujeitos ao pagamento ficaram abaixo das previsões. A legislação que criou o seguro prevê reajustes a cada três meses e o próximo seria em setembro, mas a previsão da Aneel é de que o novo valor permaneça em vigor até dezembro deste ano.O reajuste do seguro-apagão significará um aumento de 0,36% na contas deluz dos consumidores da Eletropaulo, distribuidora de energia da RegiãoMetropolitana de São Paulo, que gastam 200 KW/h por mês, por exemplo. Umasimulação feita pela Aneel mostra que este consumidor residencial pagava R$ 43,28 pelo consumo de 200 KW/h por mês, sem impostos. A partir de 1º de março, esta mesma conta subiu para R$ 44,26. Com o reajuste autorizado hoje, este consumidor pagará R$ 1,14 pelo seguro-apagão, elevando assim a conta de luz para R$ 44,42, sem impostos.Eletropaulo também aumentará tarifaO consumidor da Eletropaulo pode se preparar para um novo aumento. No dia 4 de julho, a tarifa de energia elétrica da distribuidora paulista sofrerá reajuste anual, previsto no contrato. Além do seguro-apagão, os consumidores residenciais estão pagando uma tarifa extra de 2,9% e os industriais de 7,9% para recompor as perdas que distribuidoras e geradoras de energia tiveram com o racionamento.A Aneel autorizou também reajuste nas tarifas de energia de quatrodistribuidoras do Rio Grande do Sul. Os reajustes, que entram em vigor neste sábado, são de 8,71% para as tarifas da Hodroelétrica Panambi (Hidropan), de 8,96% para a Centrais Elétricas de Carazinho (Eletrocar), de 8,74% para o Departamento Municipal de Energia de Ijuí (Demei) e de 10,37% para a Muxfeldt, Marin & Cia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.