finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Aneel vende 2 lotes em leilão de transmissão, nesta 5ª

O consórcio Mata de Santa Genebra, formado por Copel Geração e Transmissão (50,1%) e Furnas (49,9%), foi o vencedor da disputa do lote A do terceiro leilão de transmissão de 2013 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A proposta vencedora contou com uma Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 174,447 milhões, sem deságio em relação ao valor mínimo estabelecido pela Aneel.

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agencia Estado

14 de novembro de 2013 | 10h49

O consórcio foi o único a apresentar proposta pelo lote composto por três linhas de transmissão, totalizando 847 quilômetros de extensão, e três subestações nos Estados de São Paulo e Paraná.

Lote B

A Abengoa Concessões Brasil Holding foi a vencedora da disputa do lote B. A companhia propôs Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 52,405 milhões, deságio de 10,1% em relação à RAP de R$ 58,292 milhões estabelecida pela Aneel. O Consórcio Corumbataí, formado por Copel Geração e Transmissão (50,1%) e Furnas (49,9%), foi derrotado após apresentar proposta de RAP de R$ 55,319 milhões (deságio de 5,09%).

O lote B é composto por uma linha de transmissão de 367 quilômetros de extensão nos Estados de São Paulo e Minas Gerais. As obras têm prazo de conclusão de 36 meses.

Leilão

O terceiro leilão de transmissão de 2013, realizado pela Aneel no prédio da Bolsa de Valores, em São Paulo, ofertará 13 lotes - inicialmente eram 17, mas quatro foram excluídos pela comissão especial de licitação por erros em suas publicações.

O leilão prevê a licitação de 14 linhas de transmissão, totalizando 2,604 mil quilômetros de extensão, e 18 subestações. Os projetos serão construídos nos Estados do Acre, Ceará, de Goiás, do Mato Grosso do Sul, de Minas Gerais, do Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, São Paulo e no Distrito Federal e devem demandar investimento total de R$ 3,6 bilhões. O prazo de conclusão dessas obras será de 24 a 48 meses, com contratos de 30 anos.

Para este leilão, a somatória das Receitas Anuais Permitidas (RAP) máximas estabelecidas pela Aneel é de R$ 309,3 milhões. Segundo as regras da licitação, vence a disputa por um lote a empresa/consórcio que oferecer o maior deságio em relação à RAP fixada para construir e operar os ativos. Um total de 26 interessados deve participar da concorrência. Colaborou Wellington Bahnemann

Tudo o que sabemos sobre:
AneelleilãoCopelFurnas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.