Anefac: juros caem em julho pelo sexto mês consecutivo

A taxa de juros média cobrada em operações de crédito apresentou queda em julho, pelo sexto mês consecutivo. Para as pessoas jurídicas, o juro caiu em média 0,06 ponto porcentual, segundo a pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Nas operações de crédito para pessoa física, a queda foi de 0,05 ponto porcentual.

YOLANDA FORDELONE, Agencia Estado

12 de agosto de 2009 | 13h16

Em julho, o juro médio cobrado para pessoa jurídica foi de 4,06% ao mês (ou 61,22% ao ano) e de 7,21% ao mês para pessoa física (130,58% ao ano) - as menores taxas desde dezembro de 2007. Para o vice-presidente da Anefac, Miguel de Oliveira, a pesquisa já demonstra o retorno das condições de crédito anteriores à crise em setembro de 2008, tanto no alongamento dos prazos dos financiamentos como na redução dos juros. Ele avalia que as taxas e as condições de crédito (ampliação dos prazos, aumento do volume emprestado, maior flexibilidade) deverão melhorar ainda mais neste segundo semestre de 2009.

Em 2009, o juro mensal cobrado da pessoa jurídica já recuou 0,38 ponto porcentual e da pessoa física, 0,36 ponto porcentual. Desde dezembro de 2008, a taxa básica de juros (Selic) foi reduzida em 5 pontos porcentuais, para o nível atual de 8,75% ao ano. Além da queda do juro, a Anefac atribui a queda à melhora do cenário macroeconômico.

Modalidade de crédito

Entre as operações para pessoa física, das seis linhas de crédito pesquisadas, somente o cartão de crédito manteve inalterada suas taxas de juros, em 10,68% ao mês. As demais linhas de crédito tiveram suas taxas de juros reduzidas em julho. A maior queda, de 0,1 ponto porcentual, ocorreu no juro do cheque especial, que passou ao nível de 7,44% ao mês.

Entre as operações para pessoa jurídica, todas as linhas de crédito pesquisadas foram reduzidas no mês. A maior queda ocorreu no juro para conta garantida, de 0,13 ponto porcentual, para 5,42% ao mês. Nos juros para crediário, Rio Grande do Sul apresentou a maior taxa (6,42% ao mês) entre sete grandes Estados brasileiros e São Paulo, a menor (5,4% ao mês). A média nacional é de 6,04% ao mês. Como em junho, os veículos seguem como tendo o menor juro, de 2,75% ao mês.

Tudo o que sabemos sobre:
jurosAnefacqueda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.