Anfavea aprova medidas cambiais, mas mantém meta

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Jackson Schneider, elogiou as medidas anunciadas ontem pelo governo para estimular as exportações, como o fim da cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre as vendas externas. "A mensagem que fica é de que o governo está preocupado em reforçar a competitividade das exportações brasileiras, o que é muito positivo", afirma.O executivo ressaltou, porém, que as medidas sozinhas não são suficientes para elevar de maneira significativa as vendas externas do País. Segundo Schneider, o governo precisa implementar medidas para reduzir os custos de infra-estrutura de logística, além de desonerar as vendas externas da pesada carga de impostos que incide sobre a produção. "O importante é que estamos no caminho certo", disse.Segundo Schneider, a preocupação do governo com a competitividade externa, principalmente da indústria de manufaturados, é muito positiva. Ele explica que esse segmento é o que gera mais valor, que mais movimenta a economia e cria mais postos de trabalho no País.MetaO presidente da Anfavea ressaltou ainda que é cedo para avaliar o impacto que as medidas terão sobre a balança comercial do setor. Ele explica que é preciso esperar para ver como as mudanças serão regulamentadas. "Por hora mantemos nossas projeções de queda de 5,1% para as vendas externas em volume em 2008", afirma. Em receita, a estimativa é de estabilidade, em US$ 13,2 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.