Anfavea espera que restrição do MDIC não seja efetiva

'É importante que sejam olhadas as importações de peças para que não tenhamos efeito perverso na produção'

Isabel Sobral, da Agência Estado,

27 de janeiro de 2009 | 15h22

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Jackson Schneider, disse nesta terça-feira, 27, que a decisão do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior de voltar a exigir licença prévia das importações não deve ser uma restrição efetiva. "Não quero crer nisso. É importante que sejam olhadas as importações de peças que são utilizadas na produção para que não tenhamos um efeito perverso no ritmo da produção, por falta de peças", afirmou Schneider, referindo-se ao fato de muitas montadoras importarem peças para montar veículos no Brasil.  Veja também:Governo confirma aperto na fiscalização de importaçõesArgentina diz desconhecer controle na importação pelo Brasil Ele disse que não tratou do assunto com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, na reunião desta terça, no Ministério. Mas acrescentou: "tenho certeza que o setor responsável está tomando medidas necessárias para que no curto prazo não parem as áreas de produção, seja do automobilístico ou de que setor for".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.