Anfavea: falta de carros reflete antecipação de compras

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Jackson Schneider, ao comentar notícias divulgadas hoje de que as marcas e modelos mais vendidos de automóveis estão em falta nas concessionárias ou com prazos de espera de 20 a 30 dias, afirmou que isso reflete "uma antecipação das compras", e não significa que a indústria esteja adiando investimentos em aumento de produção.

ISABEL SOBRAL, Agencia Estado

17 de junho de 2009 | 19h48

"A indústria, hoje, produz menos do que produzia em setembro do ano passado, mas é uma produção suficiente para atender à atual demanda interna", afirmou Schneider. Segundo ele, a indústria brasileira tem capacidade para produzir 400 modelos diferentes de automóveis, e essa produção está estruturada para a demanda atual.

Schneider afirmou que a indústria automotiva continua trabalhando com a informação de que a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no comércio de automóveis terminará no dia 30 de junho. Na avaliação dele, houve, nesse período em que está vigorando a redução do IPI, um aumento considerável das vendas de veículos. "Com certeza, a medida é muito boa", afirmou. Ao sair da reunião do Grupo de Acompanhamento da Crise (GAC), que terminou no início da noite no Ministério da Fazenda, Schneider afirmou que uma eventual prorrogação da redução do IPI não foi tema do encontro.

Tudo o que sabemos sobre:
veículosAnfavea

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.