carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Anfavea: montadoras devem repassar aumento de custos

O aumento dos custos das montadoras deve afetar os valores dos veículos, embora a decisão de repasse de preços ao consumidor final seja de cada empresa, afirmou hoje o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Jackson Schneider. "A lógica é que, naturalmente, haja um repasse de preços (ao consumidor final), pois a pressão de custos está aí, mas esta é uma decisão individual", destacou hoje, em entervista coletiva à imprensa.

MICHELLY CHAVES TEIXEIRA, Agencia Estado

07 de outubro de 2009 | 13h53

O executivo se referiu ao fim da isenção total do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) - que vigorou até o final de setembro e cuja alíquota volta a subir gradativamente até o fim do ano -, aos acordos de reajustes salariais dos funcionários, além da possibilidade de alta do preço do aço.

Questionado sobre as negociações com as usinas em torno do reajuste dos preços do aço, Schneider disse que os acertos estão sendo conduzidos pelas empresas de forma isolada. Ele limitou-se a dizer que "o preço do aço preocupa", por representar a maior parcela dos custos das montadoras.

O dirigente disse também que vai acompanhar a reação do mercado depois da isenção do IPI para alguns modelos zero quilômetro. "O começo de outubro está relativamente bom, mas é importante dizer que alguns veículos comprados em setembro ainda estão sendo licenciados", comentou. A pressão dos trabalhadores por salários maiores também levará a indústria a acompanhar de perto o mercado. Schneider ponderou, porém, que conta a favor das montadoras o fato de o volume de crédito estar próximo ou igual ao de antes da crise. "Talvez os bancos estejam mais seletivos, mas há financiamentos disponíveis no mercado."

Tudo o que sabemos sobre:
veículosmontadorascustosAnfavea

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.