Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Anfavea prevê alta acima de 5% na produção em 2014

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, afirmou, nesta segunda-feira, 21, que a produção brasileira de veículos - automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus - terá um "crescimento extraordinário, acima de 5%" em 2014 sobre 2013, após um aumento estimado em 11,9% neste ano ante 2012. Caso as estimativas sejam concretizadas, a produção deve atingir 3,7 milhões de veículos em 2013 e encostar na marca de 4 milhões em 2014, com 3,9 milhões de unidades.

GUSTAVO PORTO, Agencia Estado

21 de outubro de 2013 | 11h37

Foi a primeira estimativa feita para o mercado automotivo no próximo ano pelo presidente da Anfavea. "Não tenho dúvida de que em 2014 teremos queda nas importações, que o licenciamento de veículos crescerá por causa dos veículos produzidos no Brasil e que as exportações crescerão", afirmou o presidente da Anfavea, durante o Congresso Autodata, em São Paulo (SP).

Moan afirmou que no último dia 15 de outubro o setor atingiu 3 milhões de unidades produzidas em 2013, marca obtida no período mais curto dentro de um ano na história da indústria automotiva. Segundo a Anfavea, nos três anos passados a marca foi atingida apenas em novembro.

Para o presidente da Anfavea, a principal ação de 2014 por parte da entidade será trabalhar com o governo na elaboração do Inovar-Auto 2, já que o atual regime automotivo termina em 2017. "A indústria é madura e precisa iniciar já o planejamento para o período que terá início em 2018 e será concluído entre 2025 e 2030", afirmou.

IPI

Moan manteve o ceticismo em relação à prorrogação da alíquota reduzida do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente em veículos, que termina em janeiro, mesmo com o ministro Fernando Pimentel, do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, anunciando, semana passada, a possibilidade de prorrogação para março de 2014. "O que o Pimentel colocou sobre a prorrogação do IPI é desejo dele e que deve ser analisado por outro ministério que não o dele", disse. "A Anfavea não discute a prorrogação do IPI e todos os sinais que temos até agora é que o governo federal tem reduzido drasticamente as desonerações."

Moan, que segue hoje para Belo Horizonte (MG) onde participará do lançamento do programa de renovação da frota de caminhões daquele Estado, disse ainda que pretende negociar com o setor um programa nacional de renovação da frota desses veículos. "Na Fenatran (Feira Internacional do Transporte, que acontece na próxima semana), pretendo reunir as entidades e discutir um projeto único", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Anfaveaprodução2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.