Anfavea: vendas e produção de veículos batem recorde

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Jackson Schneider, destacou hoje que os volumes de vendas e produção registrados pelo setor em novembro e no acumulado do ano são recordes. As vendas do setor automotivo para o mercado interno totalizaram 237 mil unidades em novembro e, no acumulado do ano, foram comercializadas 2,22 milhões de unidades. A produção de veículos somou 267,5 mil unidades em novembro e 2,75 milhões de unidades entre janeiro e novembro.O executivo reiterou que as sucessivas melhoras de desempenho devem-se tanto ao aumento do crédito quanto à redução de juros e alongamento dos prazos de financiamento. Schneider informou que o saldo de crédito disponível em outubro era de R$ 78 bilhões, o que representa um aumento de 26,8% sobre o mesmo mês do ano passado. Ele destacou ainda que, no mesmo período de comparação, os juros para o setor caíram 3,5 pontos porcentuais, de 23,1% para 19,6%. O presidente da Anfavea destacou ainda que a inadimplências nas operações de financiamento em outubro era de 3,1% ante uma média de 7% do setor de bens de consumo. "Isso mostra que esse tipo de crédito não tem risco e que há condições de crescer ainda mais", disse.Schneider informou também que os estoques totais da indústria e das concessionárias somaram 153.459 unidades em novembro, o que representa 20 dias de vendas. "Isso comprova a capacidade de abastecimento do mercado", afirmou. PIBA Anfavea trabalha com uma projeção de crescimento entre 4,6% e 4,7% para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2008. Em relação ao dólar, Schneider preferiu não fazer projeções, mas ressaltou que espera que a moeda tenha uma recuperação em relação ao Real, o que daria maior capacidade de competição a indústria nacional.O executivo afirmou também que não trabalha com previsão de aumento nos custos de matérias-primas como o aço, apesar da tendência de aumento significativo nos preços do minério de ferro, um dos principais insumos do setor siderúrgico.Em relação a projeções do setor para o próximo ano, Schneider ressaltou que a estabilidade da economia aponta para novos investimentos em infra-estrutura, seja via pública ou privada, o que deve gerar novos empregos e melhoria da renda, o que por sua vez contribui para o aumento das vendas de veículos. "Os números de 2008 apontam um momento muito positivo para o setor. A decisão de novos investimentos da indústria automotiva está na mesa", disse.O executivo ressaltou ainda que a projeção de vendas internas de 3,240 milhões de unidades para o próximo ano coloca o Brasil em um novo patamar e da sua indústria num papel de relevância no contexto mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.