Carla Miranda/ AE
Carla Miranda/ AE

Angela Merkel impõe condições para ajuda à Grécia

Para a primeira-ministra alemã, plano está condicionado a uma reestruturação 'crível' e à estabilidade do euro

Marcílio Souza, da Agência Estado,

23 de abril de 2010 | 11h09

A primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, disse que um plano de reestruturação "crível" e medidas para manter o euro estável são precondições para a concessão de qualquer ajuda à Grécia. Ela acrescentou que ainda é cedo demais para falar sobre se, quando e quanta ajuda será dada, porque as negociações ainda precisam ser finalizadas.

 

Falando com jornalistas após a Grécia pedir oficialmente a ajuda, Merkel disse que é importante garantir a estabilidade do euro e que, se necessário, uma ação rápida e decisiva será tomada. "É importante que o governo alemão e que cada governo da zona do euro estabilize a moeda", disse Merkel.

 

Condições rígidas são atreladas a qualquer ajuda, disse ela. "Isso significa que, primeiro, um programa crível de austeridade tem de ser negociado entre a Grécia, a Comissão Europeia e o Fundo Monetário Internacional", disse Merkel, acrescentando que o primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, disse a ela mais cedo que as negociações "vão demorar algum tempo".

 

Segundo, afirmou ela, depois que um programa como este estiver disponível, o BCE e o FMI vão precisar determinar que a estabilidade da zona do euro de maneira geral torna necessário um programa de ajuda para a Grécia. "Apenas quando esses passos forem tomados, nós poderemos falar em ajuda concreta, e também no tipo e no volume dessa ajuda", disse Merkel. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.