Anheuser-Busch demitirá até 1.290 funcionários este ano

A companhia de bebidas norte-americana Anheuser-Busch anunciou que planeja dispensar até 1.290 empregos este ano, como parte de um plano para aumentar os lucros e afastar a oferta hostil da companhia belgo-brasileira InBev, informou hoje o jornal The Wall Street Journal. Altos executivos da cervejaria de Saint Louis disseram, em uma conferência a investidores, que a empresa pretende economizar US$ 1 bilhão até 2010, sendo a maior parte desse montante nos próximos dois anos. Como parte do programa, a cervejaria vai oferecer um programa de antecipação de aposentadoria no terceiro trimestre deste ano, com o objetivo de reduzir de 10% a 15% sua força de trabalho em tempo integral, para cerca de 8,6 mil funcionários.A Anheuser rejeitou a oferta não solicitada de compra, no valor de US$ 46,35 bilhões, feita pela InBev. A companhia disse que a oferta subestima significativamente o valor da fabricante das cervejas Budweiser e Bud Light. Mas o conselho sugeriu que está aberto a ofertas mais elevadas da gigante belgo-brasileira, dizendo que estudaria "qualquer proposta que possa dar um valor seguro e completo" aos seus acionistas.Segundo analistas, a InBev pode conquistar a Anheuser com a elevação da oferta em alguns poucos dólares por ação. A cervejaria belgo-brasileira, porém, indicou que pode levar sua oferta inicial diretamente aos acionistas da Anheuser por meio de uma oferta amistosa ou tentar destituir o conselho da norte-americana mediante uma disputa por procurações. As ações da gigante dos EUA arrastaram-se na faixa dos US$ 50 por cerca de cinco anos antes dos rumores sobre os planos da InBev. Hoje, os papéis da Anheuser eram negociados a US$ 62,63."Não estamos colocando um preço na companhia", disse hoje o diretor financeiro da Anheuser, Randy Baker, em resposta à pergunta de um analista sobre que tipo de oferta poderia seduzir o conselho da Anheuser. Baker enfatizou que a oferta da InBev é baixa se comparada a outras compras recentes no setor de cerveja. "Nunca houve uma transação de uma marca de cerveja icônica comparável à Budweiser", afirmou.A Anheuser procurou convencer os investidores que sua estratégia para agregar valor às ações é superior à oferta da InBev. O presidente da companhia, August A. Busch IV, disse que a empresa já trabalhava no aumento dos esforços de redução de despesas antes da oferta da InBev, embora a companhia não tivesse informado seus planos ao mercado. "Precisamos romper com uma cultura conservadora", afirmou Busch, sobre a decisão da companhia de incrementar os esforços de corte de custos. As dispensas de pessoal respondem por cerca de 30% do plano, que também inclui medidas para podar os gastos com energia e melhorar a produtividade na fabricação de cerveja e em outras operações. A Anheuser tem cerca de 30 mil empregados em todo o mundo. As informações são da Dow Jones.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

27 de junho de 2008 | 13h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.