Ano deve ser o 3º pior da Bolsa desde o início do Plano Real

Considerando-se a performance do Ibovespa no acumulado do ano até ontem, o desempenho negativo só fica atrás do verificado em 2008 e de 1998, informa Economática

Olívia Bulla, da Agência Estado,

29 de dezembro de 2011 | 11h56

SÃO PAULO - O principal índice acionário da Bolsa brasileira pode encerrar 2011 com o terceiro pior desempenho desde o início do Plano Real, segundo informações divulgadas há pouco pela consultoria Economática. Considerando-se a performance do Ibovespa no acumulado do ano até ontem, de -18,43%, o desempenho negativo só fica atrás do verificado em 2008 (-41,22%) - ano de crise econômico-financeira global - e de 1998, quando o mercado acionário brasileiro ainda engatinhava e teve desvalorização de 33,46%.

Em contrapartida, o melhor ano da Bovespa foi em 1999, quando houve um aumento significativo de 151,93% no Ibovespa, no mesmo período em que o governo brasileiro mudou a condução da política cambial, adotando o regime de câmbio flutuante.

Ainda de acordo com a Economática, levando-se em conta as seis principais aplicações financeiras, o Ibovespa é a única opção a apresentar variação negativa em 2011. O título de melhor aplicação do ano, por sua vez, deve ficar com o ouro, com valorização de 16,46% até o dia 28 de dezembro, seguida pelo Dólar Ptax Venda, com +11,84%. A aplicação com performance positiva mais fraca fica com a poupança, que deve garantir uma rentabilidade de 7,50% ao aplicador.

Tudo o que sabemos sobre:
Ibovespapior desempenhoPlano Real

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.