finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

ANP: 4º lote é todo arrematado, com bônus de R$ 11 mi

O quarto lote do leilão da Agência Nacional de Petróleo (ANP), localizado em áreas terrestres na Bacia do Parnaíba, no interior do estado do Maranhão, teve os 10 blocos ofertados arrematados, para um total de bônus de assinaturas de R$ 11 milhões. A estreante STR levou sete dos dez lotes por um total de bônus pagos de R$ 10,42 milhões. A Petrobras entrou na disputa dos dez blocos em parceria com a Devon e a Companhia Vale do Rio Doce, mas só levou dois, sendo operadora no PN-86, em que a Vale participa com 20% e a Devon com 40%; e com a Devon como operadora no PN-66, em que participa com 40% mais a Vale com 20%. O consórcio com as três empresas pagou um total de bônus de assinatura pelos dois blocos de R$ 197 mil. Também levou um bloco neste lote o consórcio formado pela Comp (33%; operadora) , Orteng (33%) e Delp Engenharia (33%), com bônus de assinatura de R$ 300 mil.5º loteA empresa OGX, que faz parte do grupo de Eike Batista, arrematou mais quatro áreas de exploração de petróleo e gás em águas rasas na Bacia de Santos. No quinto lote ofertado na 9ª Rodada, cinco das dez áreas ofertadas foram arrematadas. A OGX repetiu performance verificada em lotes anteriores e deu o maior lance do leilão até o momento, de R$ 344,09 milhões para levar a área S-270, com potencial de reservas de gás natural nas águas rasas de Santos.No total, a OGX pagou em bônus R$ 599,44 milhões do total de R$ 621,6 milhões arrecadados neste lote. A Petrobras concorreu em parceria com a Starfish em dois blocos, mas levou apenas o S-225, no qual a Starfish é operadora com 60% de participação. A dupla pagou R$ 22,25 milhões pelo bônus deste bloco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.