Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

ANP corrige: reservas provadas de petróleo crescem 10,6%

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) corrigiu hoje nota à imprensa divulgada ontem à noite, na qual constava incorreção nos volumes de reservas provadas no País e no porcentual de crescimento entre 2009 e 2010. Segundo a ANP, as reservas provadas de petróleo brasileiras cresceram 10,65% de 2009 para 2010, passando de 12,876 bilhões de barris para 14,246 bilhões de barris. Na nota enviada ontem, a assessoria divulgou o volume de reservas errado e o porcentual de 10,8% para o crescimento.

KELLY LIMA, Agencia Estado

17 de fevereiro de 2011 | 16h28

Este é o maior porcentual registrado desde 2002, quando houve um aumento de 15,4% em relação ao ano anterior. As reservas totais, que incluem as provadas, as prováveis e as possíveis, deram um salto de 34,57% no mesmo período, maior crescimento verificado desde 2000, passando de 21,154 bilhões de barris para 28,467 bilhões de barris.

No gás natural, as reservas provadas tiveram aumento de 15,23% na comparação entre 2009 e 2010, passando de 367,095 bilhões de metros cúbicos para 423,003 bilhões de metros cúbicos. A elevação é inferior apenas a registrada em 2004 em relação a 2003, 32,91%. Nas reservas totais de gás natural, no mesmo período, a elevação foi de 37,11%, de 601,518 bilhões de metros cúbicos para 824,723 bilhões de metros cúbicos, a maior desde 2004, quando o aumento foi de 41,68% frente ao ano anterior.

Os dados de 2010 incluem as reservas referentes ao pré-sal da Bacia de Santos (antigas áreas exploratórias de Tupi e Iracema no Bloco BM-S-11), descobertas nos campos de Barracuda, Caratinga, Marlim, Marlim Leste e Pampo na Bacia de Campos, além de projetos de aumento de recuperação de petróleo nos campos de Albacora Leste, Maromba, Marimbá, Marlim Sul, Marlim Leste e Roncador na Bacia de Campos e na concessão de Leste de Urucu na Bacia do Solimões.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleogásreservasANP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.