Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

ANP encontra novos indícios de petróleo no poço Libra

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) informou ontem ter encontrado novos indícios de petróleo no poço Libra, no pré-sal da Bacia de Santos. Perfurado em parceria com a Petrobrás, Libra tem reservas estimadas em 8 bilhões de barris e deve ser o primeiro poço a ser licitado dentro das novas regras para o pré-sal. A agência não deu detalhes a respeito dos trabalhos na região.

Nicola Pamplona, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2010 | 00h00

O comunicado foi divulgado na página de notificações de descobertas no site da agência, que lista todos os indícios de petróleo encontrados por companhias que operam no País. Foi o segundo indício encontrado em Libra, que vem sendo perfurado desde junho, ao norte da região de Tupi. O poço chegou a ser interrompido, em julho, por causa de problemas técnicos, mas retomado em outra locação no mês seguinte.

Segundo estimativas da certificadora independente Gaffney, Cline & Associates (GCA), o potencial de reservas em Libra varia entre 3,7 e 15 bilhões de barris de petróleo, com cenário mais provável em 7,9 bilhões de barris. Se confirmado esse cenário, Libra disputa com Tupi o posto de maior descoberta brasileira de petróleo - segundo a Petrobrás, Tupi tem reservas entre 5 e 8 bilhões de barris.

Em Tupi, porém, há uma série de poços comprovando a extensão do reservatório, o que não ocorre em Libra, ainda em fase inicial de exploração, com apenas um poço perfurado. A quantidade de poços, além da realização de um teste de longa duração (TLD) na área, tornam mais factíveis as projeções feitas pela Petrobrás do que a estimativa da GCA para Libra.

A estatal anunciou na noite de segunda-feira que iniciou novo TLD na região do pré-sal, desta vez na descoberta de Guará, ao sul de Tupi, no dia 25. O teste terá duração de cinco meses, com produção de até 14 mil barris por dia. Depois, a empresa deve iniciar um projeto piloto de produção no local, com capacidade de até 120 mil barris por dia, a exemplo do modelo de Tupi.

Realizado por meio da plataforma Dynamic Producer, o TLD de Guará é o sexto projeto com produção do pré-sal em operação no País. Ao todo, segundo a ANP, o pré-sal produziu 63,6 mil barris por dia em novembro - antes, portanto, do início das operações em Guará e de Carimbé, poço do pré-sal na Bacia de Campos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.