ANP garante mistura do biodiesel apesar do preço recorde da soja

Os altos preços das commoditiese os baixos preços de venda de biodiesel não vão comprometer amistura obrigatória do biocombustível no diesel, que passou avigorar no início do ano, afirmou uma autoridade nestasexta-feira. O superintendente de Abastecimento da Agência Nacional doPetróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Edson Silva,afirmou à Reuters que as entregas do combustível renovávelestão garantidas, afastando assim algumas preocupações deanalistas sofre escassez do biodiesel. "O que vimos desde os primeiros dias da mistura e o queesperamos para o futuro está garantido, oferta confortável éesperada nas próximas semanas... Os mecanismos de controlesinstitucionais nos permitem afirmar que não haverá falta",disse. Cerca de 90 por cento do biodiesel é produzido a partir desoja no Brasil, o segundo produtor mundial da oleaginosa. Umaalta nos preços globais do grão, que atingiram novo recordenesta sexta-feira, e a demanda dos produtores de biodieselelevaram os valores do óleo de soja de maneira acentuada. Como resultado, os custos de produção de biodieselsuperaram a média de preços estabelecidos nos leilões do anopassado, para entregas em novembro, de 1,807 real por litro,levando alguns especialistas a duvidar da disponibilidade doproduto. "Está mais barato para os produtores não produzir biodieseldo que fazê-lo", afirmou Adriano Pires, diretor do CentroBrasileiro de Infra-Estrutura (CBIE). "Há multas se não entregarem, mas os produtores podem ir àJustiça argumentando condições econômicas desfavoráveis... e ospreços têm que ser mais próximos da realidade no próximoleilão...", afirmou Pires. A ANP deve realizar um novo leilão no primeiro semestre de2008. Os produtores que não entregarem as quantidades contratadasnos leilões são multados e ficam impedidos de participar deleilões futuros. Apesar disso, Silva disse que os produtores de biodieselnunca levantaram a questão do custo nas discussões com aagência. "Sabemos que há uma defasagem de preço. Mas acreditamos queos preços da soja tendem a cair com o início da safra docentro-sul em fevereiro", ele disse. "Os produtores estão interessados em ganhar um mercado queeles consideram ter extraordinário potencial, então eles podemtrabalhar com lucratividade reduzida agora, por enquanto.Acreditamos que eles vão entregar tudo que foi contratado",afirmou. Valter Egidio da Costa, presidente da companhia debiodiesel Soyminas afirmou que o preço de 1,8 real ainda dáviabilidade à produção. "Não é um preço desejável, mas ele é viável. Eu não achoque haverá escassez de biodiesel. Há capacidade de produção eas companhias estão produzindo. Então os preços serão ajustadosno próximo leilão", afirmou ele. A capacidade de produção da Soyminas é de 1 milhão delitros de biodiesel por mês, mas a empresa planeja outras 25unidades no Brasil para produzir o mesmo por dia. A companhia não tem entregas obrigatórias contratadas pelosleilões, mas faz vendas esporádicas quando os preços estãobons. "A demanda está aquecida, aqui e no exterior", afirmou. O Brasil, que consome 400 bilhões de litros de diesel porano, aposta no biocombustível para reduzir as suas necessidadesde importação. A mistura de biodiesel no diesel vai aumentar com o tempo,o que significa que o mercado crescerá. A autoridade da ANP afirmou que não há planos de subsidiaros produtores ou deixar a estatal Petrobras, que planeja 13unidades de biodiesel nos próximos anos, controlar o setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.