ANP pede que Cade apure suspeita de cartel na venda de etanol, diz Lobão

Ministro acredita que o início da moagem da cana-de-açúcar dê fim aos problemas de falta do combustível

Renato Andrade, da Agência Estado,

27 de abril de 2011 | 15h20

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou nesta quarta-feira, 27, que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) solicitou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) uma avaliação sobre a suspeita de prática de cartel na venda de etanol nas cidades de Brasília (DF) e São Luís (MA). Segundo o ministro, a possível prática de cartel também teria ocorrido em outras duas cidades e o diretor-geral da ANP, Haroldo Lima, já teria conversado com representantes do Cade para averiguar a denúncia.

Lobão disse que, com o início da moagem da safra de cana-de-açúcar, os problemas envolvendo a falta de etanol no País já devem estar resolvidos na próxima semana. Ele negou que esteja faltando gasolina no Brasil. Segundo o ministro, o que pode ter acontecido durante a Semana Santa foi a falta de combustível em alguns postos, sem caracterizar um desabastecimento. "O distribuidor tem gasolina e nós, inclusive, importamos o produto para que ele não faltasse", disse Lobão, ao chegar à sede do Ministério, onde participará da reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE).

O ministro Edison Lobão confirmou que na reunião de amanhã do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) será definida a 11ª rodada de leilões da Agência Nacional do Petróleo. Segundo Lobão, a ideia é leiloar campos de exploração de petróleo em terra e em algumas áreas no mar, mas fora da região do pré-sal. Na avaliação do ministro, os leilões da 11ª rodada devem ocorrer no início do segundo semestre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.