ANP recebe propostas sobre regulação de gás natural

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) recebe hoje propostas para a nova resolução que regulará a especificação do gás natural. O texto colocado em consulta pública pela agência prevê alterações nos limites estabelecidos na atual portaria vigente, para adequá-la principalmente às características do GNL, que deve chegar à matriz energética a partir de abril, conforme cronograma da Petrobras para instalação da primeira planta de regaseificação do País.Entre as principais mudanças propostas estão a elevação dos teores de propano e butano, que passam de 1,5% e 3% para 3% e 6%, respectivamente. A alteração favorece a comercialização do gás natural originado da regaseificação do gás natural liquefeito (GNL), que tende a concentrar uma parcela maior dessas frações pesadas por conta da evaporação durante o período de armazenamento.Já há críticas de representantes do mercado, porém, de que estas parcelas mais elevadas podem acarretar problemas no abastecimento e desempenho de veículos movidos por gás natural veicular (GNV), como congelamento de bicos e condensação do energético em partes do motor. A audiência pública para a discussão da minuta está marcada para 29 de janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.