ANS aumentará a fiscalização de planos de saúde

A fiscalização do atendimento ao consumidor de planos de saúde será maior. Esta é a intenção da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) ao adotar a medida de obrigar as empresas do setor a demonstrar trimestralmente o número de atendimentos, consultas, exames, internações e cesarianas realizadas pelos seus usuários. De acordo com a diretora de fiscalização da ANS, Maria Stella Gregori, o objetivo é analisar o tratamento das operadoras com relação aos consumidores.Os dados serão comparados a informações de empresas o mesmo porte no Brasil e no exterior pela ANS. "A empresa tem de cumprir tudo aquilo que está descrito no contrato. Vamos avaliar a qualidade do atendimento das empresas do setor", avisa a diretora de fiscalização da ANS.A ANS determinou também que todas as empresas terão de ter uma reserva de risco de pelo 50% de seu movimento mensal, para não comprometer o atendimento ao consumidor. "A ANS também vai acompanhar mais de perto a situação financeira da empresa para evitar problemas no atendimento. Quem tiver problemas econômicos passará um plano de recuperação", alerta Maria Stella. Devido a problemas financeiros e administrativos, cinco empresas sofreram liqüidação extrajudicial: Adress (RJ), Biomed (RJ), Miller (RJ), Climoj (RJ) e Unicor (SP). Outras 13 empresas estão sob direção fiscal: SMB (RJ), Unimed Volta Redonda (RJ), Samcil (SP), Raps (SP), Saúde Assistência Médica ABC (SP), Pró-Saúde (SP), Unimed (SP), Samp (SP), Classes Laboriosas (SP), MJA (ES), Samp (ES), Samp (MG) e Serve Saúde (BA).A direção fiscal, segundo a diretora de fiscalização da ANS, serve com um plano de recuperação, pelo qual um diretor nomeado pela ANS acompanha e realiza um levantamento da situação econômico-financeira da operadora. A empresa que não conseguir se estabilizar durante a direção fiscal tem sua carteira de clientes repassada a outra empresa do mercado, na chamada liqüidação extrajudicial. Usuários reclamam de reajustesOs consumidores também estão auxiliando a ANS na fiscalização dos problemas do setor. De acordo com a Agência, nos primeiros seis meses de atividade o Disque ANS, canal de denúncias e consultas dos consumidores, registrou 20.676 atendimentos. O principal registro entre consultas e reclamações é o reajuste dos planos de saúde com 19% das ligações atendidas. Dúvidas sobre coberturas, rede credenciada, carência e contratos também encabeçam a lista.Maria Stella ressalta que a participação do consumidor como agente de fiscalização dos planos de saúde é fundamental. "O consumidor é um parceiro na fiscalização das empresas do setor. A ANS vai apurar todas as denúncias recebidas. As operadoras que infringirem a lei serão multadas.", afirma a diretora de fiscalização da ANS. O consumidor que tiver algum problema, denúncia ou dúvida com relação ao seu plano de saúde pode entrar em contato com à ANS pelo telefone 0800-7019656, por carta ou através do site da Agência: www.ans.gov.brVeja nos links abaixo as queixas de consumidores de planos de saúde no Procon e os cuidados com os planos de saúde odontológicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.