ANS: dengue não pode provocar reajuste dos planos

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está alertando os consumidores que não haverá reajuste das mensalidades em conseqüência do atendimento dos casos de dengue. O diretor-presidente da ANS, Januário Montone, afirma que o atendimento dos pacientes com dengue é obrigação das operadoras e não há nada que justifique tal aumento.Segundo a assessoria de imprensa da ANS, a Agência vem acompanhando as informações veiculadas pela imprensa de que as operadoras de planos de saúde pedirão repasse de supostos prejuízos com o atendimento à dengue. "Não faz o menor sentido aumentar as mensalidades dos planos de saúde em conseqüência de aumento de atendimento de dengue. Essa assistência a pacientes com dengue faz parte do rol obrigatório de doenças que os planos de saúde têm de atender", afirma o diretor-presidente da ANS.Januário Montone lembrou que as portas da Agência sempre estiveram abertas para os dirigentes das operadoras de planos de saúde e das associações de segmentos de operadoras. "Não há o que discutir sobre reajuste. Não vai haver revisão de preço nos planos de saúde por causa da dengue", avisa.ANS recebeu 16 denúncias A ANS coloca à disposição dos consumidores o Disque ANS (0800-7019656), telefone para tirar dúvidas e receber denúncias sobre planos de saúde. De acordo com a Agência, o Disque ANS recebeu 16 reclamações contra operadoras de planos de saúde por não atendimento de paciente com suspeita de dengue. Foram seis casos no Rio de Janeiro, três em Goiás, dois em São Paulo e dois em Mato Grosso do Sul. A assessoria de imprensa da ANS afirma que os casos estão sendo investigados.De acordo com a ANS, as reclamações geram ações de fiscalização da Agência e, se comprovado o não atendimento, as operadoras responsáveis podem ser multadas em até R$ 50 mil. Estas multas podem também ser agravadas se houver reincidência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.