Fernanda Luz/Estadão - 5/1/2022
Fernanda Luz/Estadão - 5/1/2022

BB lança linhas de crédito de antecipação de fretes para caminhoneiros autônomos e produtores rurais

Programa Antecipa Frete busca formas de aliviar os custos da categoria, atingida pela alta do preço dos combustíveis, e é lançado em ano eleitoral

Eduardo Gayer e Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2022 | 14h54

BRASÍLIA - O Banco do Brasil lança nesta quinta-feira, 7, novas linhas de crédito para caminhoneiros autônomos e produtores rurais, segmentos que formam a base de apoio do governo Jair Bolsonaro, que esteve na sede do banco público, acompanhado do ministro da Economia, Paulo Guedes.

O programa Antecipa Frete, linha de crédito voltada a caminhoneiros autônomos correntistas que desejem receber antes o valor pago pelo transporte de mercadorias. Vem no momento em que o governo -- ciente da capacidade de mobilização dos caminhoneiros em ano eleitoral -- busca formas de aliviar custos da categoria, atingida frontalmente pela alta do preço dos combustíveis.

Fruto de parceria entre empresas transportadoras conveniadas e o Banco do Brasil, a linha de financiamento poderá ser contratada por meio de aplicativo. A antecipação será concedida para frete com pagamento programado para os próximos 120 dias e taxas de juros a partir de 1,79% ao mês, conforme o perfil do cliente.

“Como a antecipação envolve os fretes já contratados, cujo direito será cedido ao Banco, a sua liquidação é realizada pela própria empresa”, afirmou o Banco do Brasil, em nota.

Em fevereiro, a Caixa Econômica Federal já havia lançado uma linha de crédito semelhante para os caminhoneiros.

Cédula de produto rural

O BB também lançou hoje sua primeira Cédula de Produto Rural (CPR) voltada para financiar o produtor rural em ações voltadas à sustentabilidade no campo. 

O título possibilita a monetização da área preservada e o lastro para o financiamento é a vegetação nativa do imóvel rural. “Ao lançar a CPR Preservação, o Banco do Brasil estabelece um marco, cria um parâmetro de repercussão mundial quando se fala em desenvolvimento do agronegócio e preservação do meio ambiente. Esse lastro ambiental cria possibilidades para que investidores externos possam aportar recursos em nosso país com o objetivo de apoiar a preservação de nossa fauna e flora”, disse o presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro. 

Os valores financiáveis serão estabelecidos de acordo com o bioma e a garantia dada em troca do financiamento incluirá reserva legal, áreas de preservação permanente e áreas excedentes de preservação.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.