Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Antes de crescer, é preciso parecer grande

Alugar escritórios temporários ou ter teleatendimento dão a clientes a impressão de lidar com empresa maior

Anne Field, The New York Times, O Estadao de S.Paulo

24 de julho de 2007 | 00h00

O pequeno pode ser bonito, mas parecer minúsculo é outra questão. Foi o que Angela Ford pensou há seis anos, quando criou a TAG Worldwide, uma empresa de administração imobiliária em Chicago. Na época, ela trabalhava em uma imobiliária e não queria que seus clientes descobrissem que exercia as atividades da sua própria empresa na hora do almoço.Assim, para dar a impressão de que a empresa era maior, Angela contratou um serviço de call center. Os clientes discavam para o número da casa de Angela e a ligação era transferida para o serviço de atendimento. "O operador então dizia: ?Deixe-me ver se ela está disponível?, e tentava meu celular", diz a empresária. "Se era possível, eu atendia a chamada."Eric Siegel, professor de administração do Goergen Entrepreneurial Management Program, na Wharton School da Universidade da Pensilvânia, diz que "na atividade comercial, a percepção é um importante fator para o sucesso".Hoje, pode ser bem mais fácil realizar essa façanha, graças aos avanços tecnológicos. As empresas conseguem produzir seus próprios materiais de marketing, utilizar assistentes virtuais remotos para responder aos telefonemas e desenhar os seus sites na internet, entre outras iniciativas. Até o uso de e-mails ajuda. "A reunião de ontem é o e-mail de hoje", disse Siegel. Os clientes de Angela não sabiam que contatavam uma empresa de uma única pessoa que trabalhava em tempo parcial. Dois anos depois, ela abandonou seu trabalho para operar a própria empresa em tempo integral. De acordo com Angela, as receitas mais do que dobraram a cada ano desde o seu início.Para criar uma empresa bem-sucedida, os empresários necessitam desempenhar uma variedade de papéis - entre eles, o de visionário, representante de vendas e incentivador. Mas, em alguns casos, eles poderão ter de desempenhar o de ilusionista. Isso significa encontrar meios engenhosos, como alugar um espaço de escritório temporário ou usar serviços de atendimento telefônico, de modo a fazer com que a sua empresa pareça maior e mais estabelecida do que na verdade está.A maneira mais comum de aproveitar os poderes da internet é idealizar um website sofisticado com todas as características e facilidades de uma empresa de maior porte.Nick Nanton, advogado de Orlando, experimentou os websites. Sócio do escritório de advocacia Dicks & Nanton, ele divide o seu trabalho em áreas de competência e cria empresas de responsabilidade limitada para cuidarem de cada uma, com um website separado. Nanton possui uma consultoria para pequenas empresas, nos termos da legislação sobre entretenimento e marcas registradas, e tem três ou quatro outros websites sendo criados. E faz a mesma coisa para os seus clientes. Já criou cerca de dez empresas e websites para alguns clientes."Nós isolamos nossas forças e as transformamos em múltiplos websites", diz Nanton. FRASEEric SiegelProfessor da Wharton School da Universidade da Pensilvânia"Na atividade comercial, a percepção é um importante fator para o sucesso. A reunião de ontem, por exemplo, é o e-mail de hoje"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.