Issei Kato/Reuters - 30/12/2020
Issei Kato/Reuters - 30/12/2020

Antes de feriado de uma semana na China, Bolsas da Ásia têm alta; Europa tem manhã instável

Nesta madrugada, foram divulgados os números mais recentes de inflação da China; apetite por risco predominou na Ásia nesta quarta

Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2021 | 07h45

As Bolsas da Ásia terminaram os negócios desta quarta-feira, 10, em alta, com investidores se preparando para o feriado do ano-novo chinês, que se estenderá por uma semana. 

Nesta madrugada, foram divulgados os números mais recentes de inflação da China. O índice de preços ao produtor (PPI, pela sigla em inglês) subiu 0,3% em janeiro ante igual mês do ano passado, depois de apresentar queda anual de 0,4% em dezembro. O índice de preços ao consumidor (CPI), por sua vez, tomou a direção contrária, ao sofrer um declínio anual de 0,3% em janeiro, revertendo alta de 0,2% do mês anterior.

O apetite por risco predominou na Ásia nesta quarta, apesar de Wall Street ter interrompido na terça-feira, 9, uma sequência de seis pregões positivos. Nas últimas sessões, a perspectiva de que os EUA aprovem um novo pacote fiscal trilionário e dados mostrando desaceleração do contágio da covid-19 ajudaram a sustentar os negócios no continente asiático. 

Bolsas da Ásia 

Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 1,43%, a 3.655,09 pontos, em seu terceiro pregão seguido de ganhos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,75%, a 2.460,54 pontos. Nesta semana, prevaleceu um tom positivo antes do feriado do ano-novo lunar, que manterá os mercados chineses fechados entre quinta-feira, 11, e a próxima quarta-feira, 17. 

Nos próximos dias, também há feriados previstos no Japão, na Coreia do Sul, em Hong Kong e em Taiwan.

Em Tóquio, o japonês Nikkei se valorizou 0,19% hoje, a 29.562,93 pontos, renovando máxima em 30 anos, com destaque para a Toyota, cuja ação subiu 1,7%, após a montadora divulgar balanço trimestral melhor do que o esperado. Já o Hang Seng teve alta de 1,91% em Hong Kong, a 30.038,72 pontos, e o sul-coreano Kospi avançou 0,52% em Seul, a 3.100,58 pontos. 

Na Oceania, a Bolsa australiana seguiu as asiáticas, e o S&P/ASX 200 avançou 0,52% em Sydney, a 6.856,90 pontos. 

Bolsas da Europa 

As Bolsas europeias operam sem direção única na manhã desta quarta-feira, digerindo balanços locais e dos EUA e com algumas delas seguindo o tom positivo dos futuros de Wall Street.

Às 7h27, no horário de Brasília, o índice pan-europeu STOXX 600 avançava 0,12%, a 410,90 pontos. No mesmo horário, os futuros das Bolsas de Nova York tinham ganhos modestos, em torno de 0,30%. Grandes empresas europeias divulgaram balanços nesta madrugada. 

O Société Générale, terceiro maior banco francês, teve lucro e receita trimestrais acima das expectativas, e sua ação subia 3,5% em Paris. O conglomerado alemão ThyssenKrupp, por sua vez, reduziu sua perda trimestral e elevou projeções anuais, levando seu papel a saltar 5,5% em Frankfurt.

Por outro lado, a Heineken, segunda maior cervejaria do mundo, ficou no vermelho em 2020, revertendo sólido lucro do ano anterior, em meio aos efeitos da pandemia do novo coronavírus. Em Amsterdã, sua ação caía 2,4%.

Investidores na Europa também repercutem balanços positivos de empresas americanas, como Twitter e Cisco Systems. Nesta manhã, nos EUA, estão previstos resultados trimestrais da General Motors (GM) e da Coca-Cola.

Ainda no radar continuam as negociações do governo Biden para lançar um novo pacote fiscal trilionário nos EUA, em meio à crise da covid-19, e conversas lideradas pelo ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE) Mario Draghi para tentar formar um novo governo na Itália.

Nas próximas horas, são esperados também comentários dos presidentes do BCE, Christine Lagarde, e do Banco da Inglaterra (BoE), Andrew Bailey, em eventos marcados para esta quarta.

Na Alemanha, foi confirmado mais cedo que seu índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,8% em janeiro ante dezembro e mostrou avanço de 1% na comparação anual, como já havia sido estimado preliminarmente.

Também às 7h27 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,18%, a de Paris se mantinha estável e a de Frankfurt caía 0,14%. Já as de Milão e de Lisboa avançavam 0,21% e 0,57%, respectivamente, enquanto a de Madri recuava 0,47%.

Petróleo

Os contratos futuros do petróleo retomaram a tendência positiva que se mantém há mais de uma semana, revertendo leves perdas observadas durante a madrugada desta quarta-feira, após o American Petroleum Institute (API) estimar no fim da tarde de ontem que o volume de petróleo bruto nos EUA sofreu nova queda na semana passada, de 3,5 milhões de barris. Nas próximas horas, investidores vão acompanhar o levantamento oficial do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) sobre estoques dos EUA, que inclui números de produção. Às 6h49 (de Brasília), o barril do petróleo WTI para março avançava 0,50% na Nymex, a US$ 58,65, enquanto o do Brent para abril subia 0,57% na ICE, a US$ 61,44.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.