José Cruz/Agência Brasil
José Cruz/Agência Brasil

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Antes de renunciar ao BB, Novaes demonstrou cansaço com ambiente político de Brasília

O agora ex-presidente do banco disse que é muito difícil defender o liberalismo na capital do País; aos 75 anos, ele sentia saudade da família e dos netos, que moram no Rio

Anne Warth, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2020 | 22h43

BRASÍLIA - Uma semana antes de renunciar à presidência do Banco do Brasil (BB), Rubem Novaes demonstrou cansaço com o ambiente político de Brasília. Liberal, ele defendia a privatização do banco e disse que uma empresa pública de capital aberto, especialmente uma instituição financeira, era uma "anomalia" e que não fazia sentido "um gestor ter dois chapéus". Aos 75 anos, dizia sentir falta da família e dos netos, que vivem no Rio de Janeiro.

"Você não pode chamar capital privado e ficar, às vezes, subordinado a decisões e prioridades de governo. Felizmente esse não tem sido meu caso. Meu mandato é para maximização do valor do banco. Isso impede o conflito com o mercado, mas não necessariamente isso será sempre assim", disse, em live organizada pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban).

Novaes disse ainda que muitas vezes, o grupo de liberais do governo Bolsonaro se sentia "um vírus do bem tentando enfrentar um organismo do mal". "A equipe de Paulo Guedes tem tenacidade e um grau de convicção enorme, mas é muito difícil para um grupo de liberais trabalhar aqui no ambiente de Brasília", afirmou.

"Criou-se aqui no 'Olimpo' uma cultura política de privilégios, compadrios, muitas vezes de corrupção, de criar dificuldades para vender facilidades, e realmente qualquer grupo de liberais que tem que penetrar nesse mundo vai sofrer uma certa rejeição, como se fosse um vírus tentando entrar num organismo hostil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.