Antes do Copom, Bolsa sobe com expectativa com montadoras

Os papéis das empresas ligados às commodities lideram com folga a lista de altas do Ibovespa

Da Redação,

10 de dezembro de 2008 | 14h59

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) começou a tarde desta quarta-feira, 10, com alta superior a 4%. No curto prazo, a expectativa de aprovação pelo Congresso norte-americano do plano de resgate das montadoras anima os investidores. O texto do projeto, que deve conceder US$ 15 bilhões em empréstimos às fabricantes de automóveis, deve ser votado ainda hoje pela Câmara dos EUA.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise      Os papéis das empresas ligados às commodities, que mais se beneficiam da provável aprovação da ajuda às montadoras, lideram com folga a lista de altas do Ibovespa, com ganhos entre 7% e 8%. No caso da Petrobras, as ações preferenciais (PN, sem direito a voto) registravam ganho de 6,36% e as ordinárias (ON, com direito a voto) subiam 5,95%.   Nos Estados Unidos, as bolsas também operam em alta às 15h, o índice Dow Jones sobre 1,76%. Na Nasdaq, a alta é de 2,01%. O dado sobre queda de 7,1% nos pedidos semanais de hipotecas na semana terminada em 5 de dezembro, depois da alta de 112,1% na semana anterior, foi um sinal reconfortante para os investidores.   Os investidores na Bovespa aguardam também a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa básica de juros, que sai no início da noite. O consenso aponta para estabilidade na taxa Selic, que atualmente está em 13,75% ao ano. Qualquer resultado diferente disso deverá provocar um ajuste nos preços dos ativos amanhã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.