finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Antonio Ermírio defende renegociação do acordo com Bolívia

O empresário Antonio Ermírio de Moraes, presidente do Grupo Votorantim, o maior conglomerado industrial do País, alertou hoje para a necessidade de o País renegociar urgentemente o acordo do gás natural com a Bolívia, em que o País paga mesmo sem utilizar o gás (take or pay). "Esse acordo causa um grande prejuízo ao Brasil, que agora pode contar com o gás da Bacia de Santos. Essa foi uma das melhores notícias do ano no País", salienta o empresário. Ermírio disse que "a concentração de gás natural na Bacia de Santos facilita sua exploração. O mesmo não ocorre na Bacia de Campos, onde o gás se espalha por vários campos e seriam necessários vários gasodutos para o seu aproveitamento. Em Santos, isto é muito facilitado e permitirá um gás mais barato". Para ele, o acordo Brasil-Bolívia foi danoso ao País e está na hora de ser renegociado, especialmente com a reavaliação da Bacia de Santos. Para Ermírio de Moraes, o gás teria que ter um preço nacional, já que o seu custo de descoberta é marginal. "O Brasil poderia utilizar o gás para a indústria ou para as residências, tem um grande poder calorífico e não é poluente. É uma energia limpa?, disse o empresário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.