Antônio Ermírio e Pedro Piva elogiam acordo com FMI

O presidente do Grupo Votorantim, Antonio Ermírio de Moraes, considerou acertada a decisão do governo de estender o acordo com o FMI por mais um ano. Moraes chegou no final da manhã ao Palácio do Planalto, onde participa com outros 12 empresários de reunião com os ministros da Fazenda, Antônio Palocci, da Casa Civil, José Dirceu e o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcio Fortes. Na avaliação de Antonio Ermínio de Moraes, o novo acordo servirá como "uma via de precaução" e ajudará o governo a dar continuidade ao processo de retomada do crescimento econômico. "É bom ter isso como reserva. Dá segurança para o governo poder trabalhar com menos tensão", disse. Apesar da reunião ter sido convocada para tentar estimular os empresários a voltarem a investir, Moraes deixou claro que no caso do Grupo Votorantim os investimentos não foram interrompidos. "Estamos investindo mais de US$ 1 bilhão em 2003 e sempre vamos investir, independentemente do governo", disse. Piva: PT amadureceuO presidente da Klabin, Pedro Piva, também considerou acertada a assinatura de um novo acordo com o FMI. Na avaliação do empresário, a decisão revela um amadurecimento do PT. "O PT amadureceu e viu que não se pode fazer nada sem empréstimos estrangeiros. Até porque, eles são mais baratos do que os nacionais", disse Piva, que também participa da reunião de empresários com os ministros da Fazenda, Antônio Palocci, da Casa Civil, José Dirceu, e o interino do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcio Fortes, no Palácio do Planalto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.