Alan Santos/PR
Alan Santos/PR

Anúncio de liberação de saque do FGTS pode animar mercados nesta quinta

Medida para estimular a economia, antecipada pelo 'Estado', deve ser anunciada por Bolsonaro em evento de comemoração aos 200 dias de governo

O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2019 | 08h56

A perspectiva de liberação de saques de contas ativas e inativas do FGTS, que pode ser anunciada na tarde desta quinta-feira, 18, pelo presidente Jair Bolsonaro, em evento de comemoração aos 200 dias de governo, pode ajudar no desempenho do mercado financeiro brasileiro, mesmo com as Bolsas em baixa no exterior. 

Liberação do FGTS

O Estadao/Broadcast apurou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, exigiu a preservação dos recursos do FGTS para a área de habitação. Por isso, o valor a ser liberado poderá cair de aproximadamente R$ 42 bilhões para cerca de R$ 30 bilhões. A informção sobre a liberação do dinheiro do fundo foi antecipada pelo Estado.

O governo deve permitir que os trabalhadores saquem entre 10% e 35% dos recursos das contas ativas e inativas do FGTS. A equipe econômica estima que a medida dará impulso de 0,3 ponto porcentual no crescimento econômico, o que elevaria a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 de 0,81% para 1,1%

Corte nos juros e reforma tributária no radar

Diante da proximidade do Comitê de Política Monetária (Copom) deste mês, nos dias 30 e 31, as medidas de estímulo à economia podem abrir espaço para ajustes nas estimativas de queda da Selic para este ano. 

Enquanto isso, os debates sobre a reforma tributária e privatizações prosseguem. O autor do texto da proposta de reforma tributária encampada pela Câmara, o economista Bernard Appy, afirmou que o ambiente esta mais favorável a uma reforma ampla.

Empresas

As ações de construtoras podem ter um dia de recuperação das perdas com o anúncio sobre o FGTS. As varejistas, que  reagiram com otimismo nesta quarta-feira em relação à medida de estímulo à economia, poderão sofrer alguma realização de lucros no pregão desta quinta.

Além disso, está previsto para esta quinta o fechamento do preço da ação do IRB Brasil Re, que marca a saída de BB e União do bloco de controle do ressegurador numa oferta que pode chegar a R$ 8,5 bilhões.

Impasse entre Estados Unidos e China

No exterior, a cautela predomina porque estão estagnadas as conversas entre Estados Unidos e China. O impasse atual refere-se a restrições comerciais americanas impostas à gigante chinesa de telecomunicações Huawei.   

As principais Bolsas europeias e os índices futuros de Nova York operam em baixa nesta manhã e os mercados acionários asiáticos encerraram o pregão em baixa repercutindo a disputa comercial.  / Maria Regina Silva, Silvana Rocha,  Niviane Magalhães e Renato Carvalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.