Anvisa alerta para Vick Vaporub falsificado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) encaminhou comunicado a todas as vigilâncias sanitárias estaduais do país solicitando que seja intensificada a fiscalização sobre o descongestionante Vick Vaporub, da Procter & Gamble, lote 1094P, lata de 12g. De acordo com a Agência, o produto foi falsificado e distribuído para algumas cidades do país. Até o momento, a Anvisa encontrou amostras nas cidades paulistas de Catanduva, Auriflama, Lençóis Paulista, Jundiaí, Estrela D´Oeste, Itajobi, Novo Horizonte, Bauru, São Manuel e Botucatu e em Fortaleza, no Ceará. A fraude foi denunciada pela própria empresa.O produto falsificado tem as seguintes descrições: Vick Vaporub, lata de 12 g e a data de validade de março de 2005. O prazo de validade do produto original é de dois anos e do falso é de três anos, segundo a Anvisa. A Agência também constatou erros de português no rótulo, como o nome da indústria Procter & Gamble em letra minúscula e palavras com erros de ortografia.De acordo com a Anvisa, o falsificador usa o número de registro verdadeiro (MS 1.2143.0003) e a semelhança com o produto original é tamanha que as últimas amostras falsificadas possuíam até lacre de segurança. As vigilâncias sanitárias foram orientadas a apreender e destruir a carga de material falsificado encontrado. Além disso, elas comunicarão à Anvisa a ocorrência de novas amostras do produto encontradas no paísOs estabelecimentos que comercializam esses produtos deverão prestar informações aos técnicos da vigilância quando solicitados, isolar o material no estoque até que seja feito o recolhimento e auxiliar as investigações. Se gundo a Anvisa, quem descumprir a resolução está sujeito a notificação e multas que variam de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão, de acordo com a Lei nº 6.437/77.

Agencia Estado,

10 de julho de 2002 | 18h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.