Anvisa apreende lotes de Gluconato de cálcio

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Ministério da Saúde determinou a apreensão dos lotes nº 00020144, 00030193, 00080760 e 00090970 do repositor de cálcio Gluconato de cálcio 10%, injetável, produzido pelo laboratório Hypofarma - Instituto de Hypodermia e Farmácia Ltda. De acordo com a Anvisa, uma análise de rotina do laboratório Noel Nutels constatou que os referidos lotes do medicamento apresentam cor insatisfatória e no rótulo não consta data de fabricação e número do registro no Ministério da Saúde.A Anvisa estabeleceu também a apreensão do lote nº 3894 do antiinflamatório Diclofenaco, fabricado pelo laboratório Neo Química Comércio e Indústria Ltda. O Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) constatou que a dissolução do produto não está de acordo com o padrão exigido. Interdições de antibiótico e repositor de cálcioA Anvisa determinou também a interdição cautelar do lote AI nº 004/01 do Gluconato de cálcio 10% fabricado pela empresa Hypolabor Farmacêutica Ltda, de Sabará, Minas Gerais. De acordo com a Agência, a embalagem não tinha data de fabricação. Também está interditado o lote nº 0008586 do antibiótico Benzilpenicilina, ampola-pó, fabricado pelo Prodotti Laboratório Farmacêutico Ltda. Segundo a Anvisa, ensaio realizado pelo INCQS constatou que o pó do medicamento tem cor amarelada, ou seja, está fora dos padrões estabelecidos. As interdições são válidas por 90 dias. A Anvisa alerta que neste período as empresas deverão apresentar contraprova. Todos os produtos mencionados deverão ser retirados imediatamente das prateleiras nos pontos de venda. As vigilâncias estaduais e municipais são responsáveis pela fiscalização do cumprimento das medidas. Se as determinações não forem respeitadas poderão ser aplicadas penalidades previstas na Lei nº 6.437/77, como notificação e multas de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.