Anvisa apreende três medicamentos do mercado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Ministério da Saúde determinou a apreensão de três medicamentos. A inutilização (destruição) do emagrecedor Sacaca Bicomposta Amazon Ervas, produzido pelo Laboratório Homeopatia da Amazônia Farmácia e Laboratórios Ltda, foi determinada porque o medicamento não estava registrado na Anvisa. Outros medicamentos, o Glumantine e o Fenobarbital, também tiveram alguns lotes apreendidos pela Anvisa. Do Glucantime, medicamento injetável utilizado no tratamento de Leishmaniose, o lote apreendido foi o de nº 254. O produto é fabricado pela Rhodia Pharma Ltda - do grupo Aventis Pharma. Sua apreensão foi determinada devido à comprovação de que o produto apresentava partículas escuras em sua composição, o que poderia comprometer a qualidade do medicamento e a eficácia do tratamento, segundo exames realizados pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS. A Anvisa já havia solicitado, inicialmente, a interdição - retirar das prateleiras até que a empresa comprove a segurança do produto - da Sacaca e do Glucantime.Por apresentar problemas de dissolução, os lotes nº 9911563 e nº 9911565, comprimidos de 100 mg, do anticonvulsivante Fenobarbital, produzido pela Igefarma, de São Bernardo do Campo (SP), também deverão ser apreendidos. No caso do Glucantime e do Fenobarbital, a Anvisa recebeu as denúncias das vigilâncias sanitárias estaduais que, em procedimentos de fiscalização de rotina, solicitaram análises laboratoriais dos referidos medicamentos e encontraram irregularidades.

Agencia Estado,

09 de novembro de 2001 | 15h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.