Anvisa descarta risco iminente do leite para o consumidor

Nesta semana, a PF desmantelou uma quadrilha que misturava substâncias químicas de forma irregular

Fabíola Salvador, do Estadão ,

26 de outubro de 2007 | 13h59

A diretora da área de alimentos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Maria Cecília Brito, tentou tranqüilizar os consumidores em relação ao consumo de leite. Nesta semana, a Polícia Federal desmantelou uma quadrilha que agia em Minas Gerais e que misturava substâncias químicas de forma irregular ao leite longa vida. "Não há risco iminente. No mínimo, há um problema para o consumidor", disse a diretora.   Veja também:  Cooperativa Calu diz que já recolheu leite fraudado  Três marcas de leite adulterado serão retiradas do mercado    Segundo ela, os laudos laboratoriais mostraram que lotes de leite tipo longa vida comercializados pelas empresas Parmalat, Calu e Centenário continham teor de gordura diferentes dos informados nos rótulos. Uma outra desconformidade em relação aos padrões de identidade e qualidade definidos pelo Ministério da Agricultura é o nível de acidez e alcalinidade do produto. Este último item pode significar, segundo ela, a mistura de produtos químicos no leite.   A Anvisa divulgou uma lista dos lotes interditados. Os estoques de leite, cujos lotes foram interditados, não poderão ser comercializados, comentou a diretora ao lembrar que a Anvisa é responsável por fiscalizar o produto final comercializado e que os outros segmentos, ou seja, a produção é de responsabilidade do ministério da Agricultura. Ela afirmou que a interdição é cautelar e lembrou que a soda cáustica é um produto usado na limpeza dos equipamentos.   Laudos oficiais   A diretora afirmou que os resultados dos testes que indicarão a existência da mistura de soda cáustica ou água oxigenada no leite deverão sair em quinze dias e não em uma semana, como foi informado na quinta-feira em Belo Horizonte.   Maria Cecília disse que se os testes comprovarem que houve irregularidades, a Anvisa poderá adotar os seguintes procedimentos: interdição do produto e do estabelecimento; e multas que podem chegar a R$ 1,5 milhão. Estas punições poderão ser aplicadas às empresas que vendem o produto e não aos produtores e cooperativas. Ela lembrou ainda que as empresas que estão sendo investigadas poderão recorrer da decisão e que o processo todo pode levar de 45 a 90 dias para ser concluído.   A diretora da Anvisa disse ainda que as pessoas que têm leite longa vida destas marcas em casa não devem consumir o produto. Para aquelas pessoas que consumiram leite dos lotes identificados, a Anvisa recomenda atenção a qualquer sintoma inesperado, entre eles pequenas intoxicações, náuseas e vômitos.   Recolhimento dos produtos   As unidades da vigilância sanitária nos municípios começarão a recolher hoje produto oriundo destes lotes interditados. A diretora disse que a Anvisa terá condições de identificar o destino dos lotes. Ela negou que houve falha na vigilância sanitária. "Não é nossa competência fiscalizar a produção. Nós cuidamos dos mercados", afirmou.   Ela evitou, no entanto, apontar o ministério da Agricultura como responsável pela fraude e também discordou do questionamento de que há demora na comunicação por parte da Agricultura. "Acredito que eles estão procurando informações mais seguras", disse.   A diretora acrescentou que a Anvisa não foi convidada pelo ministério da Agricultura para participar das fiscalizações que serão feitas a partir da próxima semana. Para combater o processo irregular da produção de leite, o ministério prometeu para a próxima semana o início de uma "operação pente-fino" nas empresas do setor. A Agricultura não divulgou até o momento mais detalhes sobre esta operação.   Veja abaixo os lotes dos longa vida que podem estar contaminados:   PARMALAT Leite UHT integral embalado na fábrica de Carazinho (RS):   Fabricação: 22/06/2007 | Vencimento: 22/10/2007 Fabricação: 22/06/2007 | Vencimento: 20/10/2007   Leite embalado na fábrica de Santa Helena de Goiás (GO):   Fabricação: 24/06/2007 | Vencimento: 24/10/2007   CALU Leite embalado pela Cooperativa Central de Laticínios do Estado de São Paulo, localizada no município de Itumbiara (GO):   Fabricação: 7/07/2007 | Vencimento: 17/11/2007 Fabricação: 26/07/2007 | Vencimento: 26/11/2007 Fabricação: 03/08/2007 | Vencimento: 03/12/2007   CENTENÁRIO Leite produzido pela Usina de Beneficiamento Cooperativa Agropecuária do Vale do Rio Grande Ltda., em Uberaba (MG):   Fabricação: 28/07/2007 | Vencimento: 02/01/2008 Fabricação: 04/08/2007 | Vencimento: 08/01/2008 Fabricação: 25/07/2007 | Vencimento: 30/12/2007

Tudo o que sabemos sobre:
LeiteOuro Branco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.