bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Anvisa determina retirada do Rotram do mercado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a apreensão de todos os lotes do comprimido Rotram 300 mg, antibiótico produzido pelo laboratório Mantefarma. Os lotes que serão apreendidos foram fabricados antes de 30 de janeiro deste ano. De acordo com a Anvisa, o laboratório não obteve a aprovação do contrato de terceirização para comercializar o medicamento por outra empresa, a Ranbaxy. De acordo com a Agência, na embalagem eram usados os nomes de três laboratórios: o do fabricante, Schering; o do detentor do registro, Mantefarma; e o carimbo do distribuidor, a Ranbaxy. A irregularidade foi denunciada por deputados que participaram da CPI dos Medicamentos no ano passado.A Anvisa já tinha determinado a suspensão da venda do medicamento em dezembro pelo mesmo motivo. Como a empresa não fez todo o recolhimento do produto, a fiscalização foi reforçada e as vigilâncias deverão realizar, nas farmácias, a apreensão do Rotram.Ácido AcetilsalicílicoOutra apreensão determinada pela Anvisa é do lote nº 0007485 do analgésico Ácido Acetilsalicílico, produzido pela Igefarma, de São Paulo. A Anvisa detectou um desvio de qualidade. Os comprimidos estavam se degradando e tinham cheiro forte, o que poderia comprometer a eficácia do tratamento. A empresa foi notificada a enviar à Anvisa o mapa de distribuição do lote comercializado e os documentos que comprovam a retirada do produto do mercado.As farmácias, drogarias e hospitais que estiverem comercializando o Rotram ou o lote do Ácido Acetilsalicílico devem retirá-los das prateleiras até que as vigilâncias sanitárias do Estado ou do município lacrem as caixas. Segundo a Anvisa, os distribuidores e fabricantes devem providenciar o recolhimento.Quem não cumprir as medidas pode ser punido com multas que vão de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão. Há também a possibilidade de o estabelecimento ser fechado. O consumidor que desejar fazer denúncias sobre irregularidades sanitárias deve procurar as vigilâncias locais ou ligar para o Disque Saúde (0800 61 1997).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.