Anvisa interdita camisinha Jontex falsificada

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Ministério da Saúde publicou hoje no Diário Oficial da União resolução interditando o preservativo Jontex Lubrificado falsificado, uma cópia do produto original, que é fabricado pela Johnson & Johnson Indústria e Comércio Ltda. O produto falso é facilmente reconhecível por apresentar uma série de características que o diferenciam do original. A camisinha falsificada traz como diferenças do original a cor contrastante na embalagem secundária (caixa do preservativo) e a ausência de informações sobre o produto na embalagem primária (envelope plástico do preservativo), que na original traz o número de lote, tipo de produto, data de fabricação e número de registro no Ministério da Saúde. Quanto ao aspecto da camisinha, a transparência da falsificada é translúcida enquanto a original é opaca.A Anvisa alerta que a aquisição de produto com as características do falsificado deve ser evitada. Além de não ter a qualidade garantida pelo fabricante original, o preservativo pode oferecer risco à saúde do consumidor. A interdição da camisinha falsa é válida em todo o território nacional e deve ser feita pelas vigilâncias sanitárias estaduais e municipais. A investigação foi desencadeada pelo Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo (CVS), que recebeu algumas unidades da camisinha falsa e constatou que outras estavam à venda.

Agencia Estado,

06 de abril de 2001 | 18h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.