Anvisa interdita dois medicamentos similares

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Ministério da Saúde determinou a interdição, em todo o território nacional, do produto Losatal 50 mg, apresentado sob a forma de comprimido, lote nº 002, por meio da Resolução nº 1.380, publicada quinta-feira (dia 30), no Diário Oficial da União.O anti-hipertensivo similar, fabricado pela empresa Hebron S. A. Indústria Química e Farmacêutica, localizada em Caruaru (PE), apresentou problemas de dissolução. O lote foi recolhido pela Vigilância Sanitária de Recife (PE) em inspeção de rotina e encaminhado para o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), que constatou a falha. A Anvisa determinou também por meio da Resolução nº 1.381, do mesmo dia, a interdição do anti-ulceroso similar ranitidina 300 mg, comprimido, lote nº 4.348, produzido pelo Laboratório Neo Química e Indústria Ltda, localizado em Anápolis (GO).Os laudos realizados pelo Laboratório Central de Goiás (Lacen) apontaram alterações na coloração dos comprimidos desse lote da ranitidina. Os fabricantes dos dois produtos têm 10 dias para apresentar defesa.ApreensãoA Anvisa determinou a apreensão, em todo o território nacional, do produto Porangaba Real 100% Natural, fabricado pela empresa Nautilus Indústria e Comércio de Pescados e Produtos Naturais Ltda, localizada emPenha (SC). A fábrica não tem autorização de funcionamento e o produto não é registrado na Anvisa. A porangaba deverá ser recolhida imediatamente dos pontos de venda pelas vigilâncias sanitárias estaduais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.