Anvisa suspende fitoterápicos da Viternat Labs

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Ministério da Saúde determinou a apreensão, em todo o País, dos medicamentos Centella asiática, Composto Calmante Sedativo, Composto Emagrecedor, Emagrevit e Extrato de alcachofra, fabricados pelo laboratório Viternat Labs Ltda. A empresa da capital paulista comercializava esses fitoterápicos sem registro na Anvisa. Como não há uma autorização para venda desses produtos, a Agência não tem conhecimento da eficácia e segurança atribuída a eles.Um dos medicamentos apreendidos, a Centella Asiática, era vendida com indicação para o tratamento da celulite, equizemas e infecções cutâneas de natureza circulatória, como varizes. Já o Composto Calmante Sedativo, conforme o fabricante, auxiliava no combate à insônia, à ansiedade, à dor de cabeça e aos distúrbios gástricos de origem nervosa, entre outros. Esse produto é feito à base de maracujá, melissa e valeriana. Segundo a Anvisa, o Emagrevit prometia auxiliar na digestão e na circulação, além de ser coadjuvante no tratamento de perda de peso. O medicamento tem na sua composição alcachofra, boldo, cáscara sagrada, levedo de cerveja, fucus vesiculosos e outras plantas. De acordo com a Anvisa, o extrato de alcachofra também contribuía para a digestão e ainda funcionava como estimulante hepático. E o Composto Emagrecedor, à base de plantas, algas e leveduras, era indicado no tratamento da obesidade. Empresas de fitoterápicos na mira da AnvisaA apreensão dos cinco produtos faz da parte das ações da Anvisa no combate à comercialização de medicamentos fitoterápicos de forma ilegal no país. Segundo informações da Anvisa, outros 16 laboratórios, além da Viternat, estão sob investigação da Agência por suspeita de irregularidades no ramo de produtos naturais. Os produtos da Viternat devem ser recolhidos imediatamente. Cabe às vigilâncias sanitárias estaduais e municipais fiscalizar o cumprimento da medida e à empresa recolher os medicamentos. Os pontos de venda que desrespeitarem a determinação poderão sofrer penas previstas na Lei nº 6.437/77 que vão desde notificação a multas de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão.Imunoglobulina pode conter vírus de hepatiteA Anvisa determinou também a suspensão da comercialização em todo o País do lote nº 340A1001, da Imunoglobulina Humana 500 mg/10 ml, importada pela empresa Blaüsiegel Indústria e Comércio Ltda. O produto é suspeito de contaminação pelo vírus da Hepatite B. A suspeita surgiu depois da realização, pelo Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP), de teste sorológico em um paciente que recebeu a imunoglobulina. O exame constatou a presença do vírus. A Agência estabeleceu o recolhimento de algumas amostras para análise no Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS). Se confirmada a contaminação do lote em questão, este deverá ser recolhido em todo o País. A venda do lote suspeito deve ser interrompida a partir de hoje. A importadora já foi notificada e a Anvisa solicitou o mapeamento da distribuição do produto. O descumprimento da medida acarretará penas previstas na Lei 6.437/77.

Agencia Estado,

28 de janeiro de 2002 | 19h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.