Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Apagão em Brasília foi causado por batida de caminhão

Situação já está normalizada na maioria das regiões, de acordo com Companhia Energética de Brasília

Ane Warth, da Agência Estado,

28 de novembro de 2013 | 20h05

BRASÍLIA - Vários pontos de Brasília ficaram sem fornecimento de energia elétrica na tarde desta quinta-feira, 28.

O apagão afetou os bairros da Asa Norte e Lago Norte, além da cidade-satélite de Sobradinho, afirma a Companhia Energética de Brasília (CEB). A Esplanada dos Ministérios não foi atingida pelo apagão.

A origem do blecaute foi um curto-circuito ocorrido depois de um caminhão bater num poste, às 14h40. O acidente rompeu duas vias de distribuição de energia elétrica.

A batida aconteceu em uma via entre o autódromo de Brasília e o Colégio Militar, na Asa Norte, ponto localizado a cerca de seis quilômetros do Palácio do Planalto.

Boa parte da área atingida já teve o fornecimento de energia normalizado, informou a Companhia Energética de Brasília (CEB). As duas linhas de distribuição afetadas pelo acidente alimentam cinco subestações, diz a CEB.

Quatro dessas subestações foram rapidamente religadas, entre 15h07 e 15h09. A quinta subestação, que atende parte da Asa Norte, no entanto, ainda não está totalmente restabelecida.

Histórico. O último apagão de grandes proporções no País ocorreu em agosto deste ano e atingiu toda a região Nordeste.

O blecaute foi causado por uma falha no sistema de transmissão, que provocou o desligamento de duas linhas no Piauí.

No final do ano passado, outros apagões também atingiram o País. Em 22 de setembro de 2012, o fornecimento de energia de toda a Região Nordeste, mais Pará e Tocantins, foi cortado.

Já em 15 de dezembro de 2012, um blecaute atingiu 12 Estados das Regiões Sudeste, Sul, Norte e Centro-Oeste.

 

Tudo o que sabemos sobre:
apagao

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.