Apagão logístico prejudica exportações, diz professor

O professor Paulo Fernando Fleury, do Instituto Coppead da Universidade Federal, do Rio de Janeiro, disse hoje que o Brasil vive um "apagão logístico", com a falta de investimentos em infra-estrutura de transporte prejudicando as exportações. Ele afirmou que no Porto de Paranaguá, responsável por 40% das exportações de soja, está demorando 30 dias para fazer os embarques.De acordo com Fleury, que participou de um seminário em São Paulo, a Parceira Público-Privada (PPP) será um caminho para a volta dos investimentos. Segundo o professor, não há mais planejamento no setor de transporte, que está nas mãos de "camelôs" do segmento rodoviário. Dos programas de privatização, ele disse que o pior foi o de transporte, principalmente o de ferrovias, que acabou criando monopólios privados e sem condições de investimentos devido aos altos juros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.