Apagão não prejudicará alívio no racionamento

O ministro de Minas e Energia, José Jorge, assegurou que o "apagão" ocorrido ontem em 10 Estados e no Distrito Federal não deverá comprometer a idéia do governo de aliviar o racionamento para a indústria e para a iluminação pública, a partir de fevereiro. Segundo o ministro, permanece na Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica a orientação para que o fim do racionamento seja decretado tão logo o nível dos reservatórios que abastecem as hidrelétricas chegue a 50% de sua capacidade máxima. Ontem, nas regiões Sudeste e Centro-Oeste o nível dos reservarórios era de 43,67% e no Nordeste de 32,27%."A idéia é permanecer na mesma situação. A queda da linha (de transmissão) não está ligada à questão do racionamento e nem à questão de disponibilidade de energia", disse o ministro. Segundo ele, aa medidas de flexibilização do racionamento para a indústria serão estudadas na reunião da Câmara de Gestão da Crise, que foi transferida de hoje para quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.