Apenas 9,9% das indústrias investiam em pesquisa em 2003

Apenas 9,9% das empresas industriais brasileiras podiam ser classificadas como de alta intensidade tecnológica em 2003, ou seja, investiam entre 0,96% e 2,72% do seu faturamento em atividades de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). Os dados foram divulgados hoje pelo IBGE, na Pesquisa Industrial Anual (PIA) Empresa. A pesquisa mostra que o setor que mais investe em pesquisa e desenvolvimento, em proporção ao faturamento, é o de outros equipamentos de transporte (2,72%). A fabricação de aviões, sozinha, foi responsável em 2003 por 1,2% dos investimentos de toda a indústria em P&D. Por outro lado, o setor que menos investe em pesquisa e desenvolvimento, em proporção ao faturamento, é o de coque, álcool e elaboração de combustíveis nucleares (0,03%), ou seja, esse é o setor de menor intensidade tecnológica no País. A pesquisa conclui que quanto maior a intensidade tecnológica, maiores a receita e o investimento médio por empresa, o salário médio e a produtividade do trabalho.Aumenta consumo de carne e arrozOs brasileiros aumentaram o consumo de carne bovina e arroz em 2003, enquanto caiu o consumo de cerveja, chope e refrigerantes na comparação com 2000, segundo conclui pesquisa divulgada pelo IBGE. De acordo com a Pesquisa Industrial Anual (PIA) Produto, no ranking dos produtos que representam as maiores vendas em 2003, a carne bovina subiu da 25ª colocação em 2000 para o 16º lugar em 2003, o arroz passou da 59ª para a 39ª posição, enquanto o óleo de soja da 51ª para 30ª posição.Além disso, o grupo de cerveja e chope despencou do 6º lugar para a 10ª colocação no período, enquanto o de refrigerantes passou da 17ª para a 22ª colocação. Os medicamentos caíram da 13ª para 26ª posição. Aumento de 160% na venda de celularesNo que diz respeito ao crescimento das vendas, o destaque foi para os aparelhos celulares, com aumento de aproximadamente 160% em 2000 para 2003, saltando da 16ª para a 6ª posição. Os Estados responsáveis pelo maior valor de vendas de produtos industriais em 2003 foram São Paulo (42,5%), Minas Gerais (10%), Rio Grande do Sul (8,8%), Rio de Janeiro (7,4%), Paraná (7,2%) e Bahia (5,1%). O Amazonas (4,1%) ocupou em 2003 a sétima colocação, que pertencia a Santa Catarina em 2000, que caiu para o oitavo lugar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.