Aperto fiscal para pagar juros continuará em 2004, diz ministro

O ministro do Planejamento, Guido Mantega, descartou hoje mudar o superávit primário de 2004, estimado em 4,25% do PIB. "Não haverá flexibilização do superávit primário, porque disso depende toda a chave da confiança internacional que conquistamos", afirmou.Assessores do ministro afirmaram que o governo não pensa em adotar soluções pontuais, como a de excluir dos investimentos em saneamento básico do cálculo do resultado primário. "Não vamos mudar a meta, mas posso assegurar que 2004 será melhor que 2003", disse o ministro, referindo-se ao nível de investimento público, que este ano chegará na melhor das hipótese a R$ 4,3 bilhões, o menor dos últimos nove anos.De acordo com o ministro, o governo pretende contornar as restrições orçamentárias acelerando o projeto de parceria com o setor privado para a realização de investimentos em setores estratégicos. "É com esse projeto que pretendemos alavancar os investimentos", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.