Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Apesar da crise, Bolívia pede ajuda à Petrobras

Em meio às negociações sobre o decreto que, na semana passada, ameaçou expropriar as refinarias da Petrobras, a Bolívia teve que pedir ajuda ao Brasil. O país vive neste momento uma crise de abastecimento de combustível. O governo boliviano pediu para as refinarias da Petrobras e a refinaria Oro Negro a oferta imediata de mais 1,2 milhão de litros de gasolina. Em Santa Cruz de la Sierra, motoristas estão sendo obrigados a pegar longas filas para obter alguns litros de gasolina.A estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) assumiu o controle da distribuição de derivados há pouco mais de dois meses. Vários setores da economia dependentes de combustíveis, como transporte de carga, de passageiros e o setor agrícola, criticam a falta de um planejamento para a distribuição da estatal boliviana.O chefe do YPFB, em Santa Cruz de La Sierra, José Gutierrez, admitiu que a companhia não previu aumento da demanda e reconheceu falhas na estratégia de operação.

Agencia Estado,

21 de setembro de 2006 | 13h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.