Apesar da crise da Varig, movimento nos aeroportos cresce

Apesar da redução das operações da Varig ao longo dos últimos seis meses, o movimento de embarques e desembarques de passageiros nos aeroportos brasileiros cresceu 12,64% no primeiro semestre do ano em comparação com mesmo período de 2005. Por outro lado, a movimentação de cargas nos terminais, no mesmo período, caiu 7,31%. Segundo a Infraero, estatal que administra os 66 aeroportos, a queda no trânsito de cargas foi provocada mais pela diminuição no ritmo de crescimento das exportações brasileiras do que pelos cancelamentos de vôos da companhia aérea em crise.A elevação do número de passageiros nos aeroportos está diretamente atrelada ao crescimento da economia. "Várias análises nos mostram que para cada um ponto porcentual de aquecimento no PIB (Produto Interno Bruto) do País, o movimento de passageiros cresce entre 2,2 e 3 pontos porcentuais", comentou hoje um técnico da Infraero sobre as estatísticas de movimentos nos aeroportos do País.No primeiro semestre deste ano, a estatal registrou 50,7 milhões de embarques e desembarques de passageiros. De janeiro a junho do ano passado, foram 45,03 milhões. O maior crescimento ocorreu no mercado doméstico que totalizou até junho deste ano 44,27 milhões de passageiros, o que significou elevação de 14,14% em comparação aos primeiros seis meses do ano passado. Até junho de 2005, ocorreram 38,78 milhões de passageiros nos vôos nacionais.Entre os passageiros internacionais, entre os quais estão os brasileiros que chegam ao País após viagens ao exterior, o crescimento foi de apenas 3,3%. Este ano, foram 6,44 milhões de passageiros contra 6,24 milhões no ano passado. O aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, continuou na liderança do movimento de passageiros que registrou 8,14 milhões de saídas e chegadas até junho, sendo pouco mais da metade desse número de passageiros internacionais. CargasA queda no movimento de cargas nos aeroportos, segundo a Infraero, não foi diretamente influenciada pela redução recente dos vôos da Varig neste semestre. A maior parte das operações da companhia neste segmento são realizada pela ex-subsidiária Varig Logística (VarigLog), que já tinha sido vendida no início do ano e, no último dia 13 de julho, arrematou a ex-controladora.Do início do ano até o mês passado, foram transportadas por via aérea 603 milhões de toneladas de carga, um volume 7,3% menos que o transportado no mesmo período do ano passado. Neste segmento, disse a Infraero, pesou mais a redução do ritmo de crescimento das exportações brasileiras afetadas pelo real mais forte que o dólar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.