finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Apesar da crise, exportações do Brasil sobem em agosto

Apesar das turbulências nos últimos dias no mercado financeiro, que podem causar uma queda nos preços de matérias-primas, as exportações brasileiras registram alta em agosto nas três categorias de produtos, segundo os dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. A média diária das vendas externas, de US$ 594,4 milhões, subiu 8,5% em relação a agosto de 2006. Os embarques de produtos básicos aumentaram 15,2%, principalmente, algodão em bruto, milho em grão, soja em grão, carne de frango e minério de ferro. As exportações de manufaturados tiveram alta de 6,2%, por conta das vendas de tratores, bombas e compressores, aviões, açúcar refinado, óleos combustíveis, autopeças e calçados. As exportações de semimanufaturados cresceram 3,5%, puxadas por catodos de cobre, ferro-ligas, óleo de soja em bruto, madeira serrada, celulose, couros e peles e ferro fundido.Segundo os dados do Ministério do Desenvolvimento, as vendas externas de produtos metalúrgicos deste mês tiveram uma queda de 2,4% em relação a agosto do ano passado e de 4,3% em relação a julho deste ano. Também há retração nas vendas de petróleo e derivados (4,2% ante julho e 0,2% ante agosto de 2006). Na comparação com julho, as exportações apresentam-se estáveis, com um crescimento de apenas 0,5%. Mas as vendas externas de básicos recuaram 3,9%.MinérioAs exportações de minério tiveram uma queda de 20,2% na comparação com julho, embora tenham aumentado 14,9% em relação a agosto de 2006. As vendas de soja também tiveram uma retração de 1,8% ante julho, mas mantêm alta de 22,4% na comparação com agosto do ano passado. As vendas de produtos semimanufaturados este mês cresceram 3,2%, em relação a julho, e os manufaturados, 2%.ImportaçõesNas importações, a média diária até a terceira semana de agosto de 2007, de US$ 517,2 milhões, ficou 30,5% acima da média de agosto de 2006 e 5,6% superior à de julho de 2007. No comparativo com agosto de 2006, aumentaram os gastos, principalmente com cereais e produtos de moagem (94,5%), produtos siderúrgicos (70,6%), químicos orgânicos e inorgânicos (57,8%), automóveis e partes (53,6%), equipamentos mecânicos (40,4%), instrumentos de ótica e precisão (21,8%), combustíveis e lubrificantes (20,1%) e equipamentos elétricos e eletrônicos (19,3%).As exportações acumulam US$ 8,386 bilhões em agosto, e as importações, US$ 6,723 bilhões, com superávit de US$ 1,663 bilhão. No ano, as exportações totalizam US$ 95,720 bilhões, e as importações, US$ 70,072 bilhões, com saldo positivo de US$ 25,648 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.