Apesar de alta, Brasil terá superávit na conta do petróleo

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse nesta segunda-feira que o crescimento contínuo da produção brasileira de petróleo deve fazer com que o país feche o ano com um superávit de US$3 bilhões na conta do petróleo, apesar do aumento do preço da commodity no mercado internacional. A previsão de Meirelles é feita dias depois de o governo anunciar que o Brasil se tornou auto-suficiente em petróleo. O presidente do Banco Central e o secretário do Tesouro, Carlos Kavall, participam da Cúpula Brasil 2006, evento em Nova York organizado pela Câmara de Comércio Brasil-EUA. Na sua palestra, Kavall também emitiu uma nota otimista sobre a economia brasileira, dizendo que, graças à diminuição da exposição à dívida externa, as reservas do país em dólar devem atingir o patamar de US$ 65 bilhões no fim deste ano. Em 30 de dezembro do ano passado, as reservas internacionais estavam em US$ 53,8 bilhões. Cenário favorável O secretário atribuiu a economia a um cenário mais favorável e à atuação do governo brasileiro. Questionado sobre se o Brasil trabalha para obter ganhos financeiros sobre suas reservas internacionais, o presidente do Banco Central disse que a principal finalidade das reservas é garantir "a proteção brasileira contra possíveis choques externos". Meirelles também disse que o Brasil continua na rota do desenvolvimento sustentável, com uma política monetária consistente e uma previsão de crescimento de 4% para este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.