Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Apesar de choque no câmbio, previsão de superávit comercial segue em US$ 50 bi

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, aponta que alta do dólar ainda não afetou importações

Renata Batista, O Estado de S.Paulo

14 Junho 2018 | 12h52

RIO - Apesar do choque recente no câmbio, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, mantém a previsão de saldo positivo de US$ 50 bilhões para a Balança Comercial este ano. Até maio, o superávit comercial foi de US$ 26 bilhões.

+ Swaps cambiais do Banco Central custaram R$ 25,2 bi em 10 anos

Para o ministro, a alta do dólar ainda não afetou as importações, que continuam em crescimento. 

+ Fed indica que juros vão subir mais este ano e pressão sobre o Brasil aumenta

"As importações estão em crescimento, mais do que as exportações. O resultado para os primeiros cinco meses do ano foi positivo tanto para as exportações, com crescimento de 6%, quando para as importações, que subiram 14%", disse.

Jorge acredita que o governo americano poderá flexibilizar a cota redutora de produtos acabados da indústria siderúrgica. "Temos uma produção complementar, também somos o principal importador de carvão (dos EUA) que entra para a nossa siderurgia", disse.

Mais conteúdo sobre:
dólar orçamento federal [Brasil]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.