Estadão
Estadão

Bolsa sobe 2,74% e dólar cai a R$ 3,87 em meio a otimismo com leilão de pré-sal

Mercado teve dia de recuperação, impulsionado pela perspectiva de acordo para votação do projeto que revisa a cessão onerosa do pré-sal entre União e Petrobrás

Broadcast

27 Novembro 2018 | 15h59
Atualizado 27 Novembro 2018 | 18h50

Um conjunto de fatores, essencialmente locais, conduziu os ganhos dos ativos brasileiros, a despeito de no exterior ter permanecido o tom de cautela, com temores relacionados à guerra comercial entre EUA e China.

O Ibovespa renovou máximas sucessivas e o dólar atingiu mínimas, assim como os juros futuros passaram a cair na sessão estendida, com o otimismo gerado pela perspectiva de que seja fechado um acordo para colocar em votação, ainda nesta terça-feira, 27, o projeto que revisa a cessão onerosa do pré-sal entre a União e a Petrobrás.

Apesar da fraqueza das Bolsas em Wall Street, o Ibovespa encerrou a sessão com valorização de 2,74%, aos 87.891,18 pontos, enquanto as ações da Petrobrás tiveram altas superiores a 3% (ON) e 5% (PN). Os papéis de bancos também registraram fortes altas. A expectativa quanto à agenda de privatizações no futuro governo de Jair Bolsonaro e a apreciação do real também ajudaram a impulsionar a Bolsa doméstica.

Destoando do movimento em outros mercados emergentes, o dólar fechou em baixa de 1,24%, a R$ 3,8739, no segmento à vista, influenciado pela atuação do Banco Central, que ofertou US$ 2 bilhões em leilão de linha. Operadores atribuíram ainda o movimento no câmbio a uma correção, após a alta tida como "exagerada" de segunda-feira, quando a divisa superou os R$ 3,92.

Os juros futuros, que passaram o dia oscilando entre a estabilidade e alta moderada, tiveram um ligeiro alívio na etapa estendida. No exterior, os investidores continuaram preocupados quanto ao crescimento global, e os rendimentos dos títulos americanos tocaram as mínimas do dia quando o diretor do Conselho Econômico Nacional americano, Larry Kudlow, afirmou que, se não houver acordo com a China, o presidente Donald Trump irá impor tarifas sobre outros US$ 267 bilhões em produtos chineses.

Mais conteúdo sobre:
bolsa de valoresdólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.